As (novas e velhas) Invasões bárbaras ou bárbaros são os outros, segundo os romanos

Poucos eventos históricos conseguem obter dos historiadores uma datação muito aproximada. Especialmente os mais distantes no vasto espectro da nossa presença no planeta permitem observar as transformações que o nosso processo de ocupação produziu.
É o caso das Invasões Bárbaras, evento ocorrido entre os séculos IV e VI da Era Cristã que puseram fim ao que se denominou Antiguidade. Mais especificamente falando, trata-se da queda do Império Romano do Ocidente, já que o Império do Oriente cairia somente com a retomada de Jerusalém pelos turcos em 1500 – outra data emblemática.
Por mais que este período seja lembrado pelas cruéis incursões dos povos que se deslocaram do oriente (hunos e magiares) e seu sítio sobre a cidade de Roma, a maior parte dos deslocamentos se deu de maneira pacífica com a chegada dos povos além fronteira com todos os seus bens, simplesmente transferindo-se para dentro dos limites do então Império Romano.
Como é de conhecimento de todos, bárbaros – para os romanos – eram todos aqueles que não falavam latim, o que significava dizer, o resto do mundo, o que passou para a história um relato de violência e morte da civilização.Invasões bárbaras 2

O que não se viu é que o deslocamento maciço da população possibilitou a queda do grande Império e abriu o caminho para um novo tempo – o do renascimento e da modernidade. A cultura romana foi profundamente modificada pela presença dos germanos, introduzindo, por exemplo modificações no direito romano. Segundo Perry Anderson, as invasões germânicas que assolaram o Império Ocidental se desdobraram em duas fases sucessivas, cada uma com um impulso e um modelo diferente. A primeira grande onda começou com a monumentosa marcha através do Reno gelado na noite do inverno de 31 de dezembro de 406, por uma informal confederação de suevos, vândalos e alanos. Poucos anos depois, em 410, os visigodos, sob as ordens de Alarico, saquearam Roma. Ainda segundo Anderson, o caráter dessa terrível irrupção inicial proporcionou posteriormente o começo da Idade Média.

Este fato me veio a tona na medida em que se intensificaram na mídia as imagens do grande deslocamento dos sírios em direção ao ocidente representado pela Europa Central. A questão que vem em mente, de imediato, é o grande processo de transformação em movimento. a história não se desmente a não ser em forma de farsa. O interessante é ver o repúdio de quem sempre migrou e é resultado de muitas outras.

invasões bárbaras 3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: